18.000 cooperados

2 01 2014

Começamos 2014 com força total! Estamos com mais de 18 mil cooperados, significando mais de 40% dos cooperativistas rondonienses. Estamos felizes por conseguir essa marca.

Image

Mas, mais felizes ainda, pelo empenho dos nossos colaboradores em atender, com qualidade e excelência, os donos de uma das maiores cooperativas de crédito do Brasil.

Não será fácil, mas trabalharemos para que os números de 2013 sejam vencidos, buscando o crescimento sustentável da nossa Sicoob Credip.





Caderneta de Poupança Sicoob sobe em agosto

7 10 2013

Image

O mês de agosto trouxe uma boa notícia ao Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil (SICOOB).

A captação dos recursos em caderneta de poupança subiram 2,47% (dois vírgula quarenta e sete por cento) enquanto a média do mercado foi de 0,8% (zero vírgula oito por cento). Para efeito de comparação, os depósitos superaram as retiradas em R$ 43 milhões, enquanto no ano anterior o montante chegou a R$ 37 milhões. Isso significa o quarto melhor mês na história desde 2008.

De acordo com Ricardo Amorim (Gerente de Operações Bancoob), “A evolução da poupança Sicoob é resultado da captação promovida pelas cooperativas singulares do Sicoob e atual conjuntura do mercado, em que o médio investidor busca investimentos mais tradicionais e conservadores, diante de eventuais dúvidas quanto ao curto e médio prazo”.

Isso é fruto do trabalho que o Sicoob promove, onde a poupança se mantém crescente ao longo do ano. Nos oito primeiros meses o Sicoob, como um todo, chegou a R$ 278 milhões, no valor acumulado, ultrapassando a marca dos R$ 218 milhões do ano anterior, com isso os poupadores receberam, em agosto, R$ 8 milhões em suas contas.





Taxa de Juros se mantém em setembro

2 10 2013

ImagemO início do mês de setembro, a taxa média de juros para empréstimos registrou um aumento entre os maiores bancos do país, passando de 5,24% para 5,27% em comparação com o mês passado.

A pesquisa realizada pelo PROCON–SP indica também que a taxa média de juros de cheque especial teve um reajuste, aumentando de 7,98% para 8,03%. Embora tenha ocorrido este aumento de juros nos bancos, as cooperativas de crédito não sofreram nenhum aumento nas taxas de juros para empréstimos, incluindo a Sicoob Credip. Para muitos, aparentemente a cooperativa perde com tal decisão, porém, como não tem o objetivo o lucro, a Sicoob Credip prioriza o ganho dos cooperados e, por isso continua com o mesmo patamar.

Isso demonstra não somente a preocupação que a Sicoob Credip tem com seus associados ou cooperados, mas a observância da cooperativa ao 4º Princípio Cooperativista, onde a cooperativa tem autonomia para tomar qualquer decisão e independência para não sofrer com as interferências dos setores, sejam eles público ou privado.





Eleição

9 08 2013

Eleição





Cooperativa de Crédito

22 07 2013

No Brasil, a história do Cooperativismo de Crédito tem mais de 100 anos e já beneficia mais de 4 milhões de associados em nossas 1.400 Cooperativas de Crédito. É uma forte solução adotada em vários países, já atendendo 2/3 dos canadenses e  representando 73% da rede de agências “bancárias” francesas. Este artigo apresenta as características deste modelo de negócio e as ótimas vantagens para você e sua comunidade.

A Cooperativa de Crédito é uma ótima solução diante do atendimento e custos ofertados pelos bancos. Na verdade ela se porta como um grande “banco” regional que atende clientes que vivem na sua área de ação, os quais, ao se associarem se tornam donos da Instituição. Nela desfrutam de: competitivas taxas de juros; IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) 9 vezes menor que no banco; tarifas de serviços bem menores que as praticadas no mercado; remunerações atrativas nas aplicações financeiras, inclusive para pequenos e médios valores e ótimas soluções de seguros. Além de um ótimo atendimento e de uma consultoria financeira simples e realista.

Verá que no cooperativismo de crédito terá fácil acesso aos diretores e conselheiros, algo impensável em seu banco. E o mais importante: ao se associar, você participará de um grande projeto sócio-econômico regional, onde, como sócio, terá direito a voto na assembléia geral realizada anualmente, ajudando a definir os rumos da Cooperativa. Pois ela foi criada para apoiar principalmente os projetos pessoais e empresarias dos seus sócios. A Cooperativa de Crédito difere dos bancos, pois os recursos que capta são repassados na própria região através de financiamentos e créditos. Isto fomenta o comércio e a elevação do nível de emprego local, desenvolvendo fortemente a região.

É importante frisar que as Cooperativas de Crédito são instituições financeiras supervisionadas pelo Banco Central o qual exige: fortes pilares para sua operacionalização, rígidos controles, auditorias independentes e transparência na gestão. Ele ainda orienta que a gestão deva ser feita por executivos que vivem e conhecem muito bem a realidade regional, para que assim a Instituição tenha total clareza nos esforços para o desenvolvimento da área de ação da Cooperativa de Crédito.

ImageO lucro líquido de uma Cooperativa de Crédito é chamado de Sobras. Na assembléia geral anual, realizada no início do ano, você e os demais associados decidem o destino deste recurso através de voto igualitário. A distribuição destas Sobras entre os sócios é feita com base no volume de negócios realizados, após a assembléia definir a parcela que ficará retida para projetos de fortalecimento da Instituição e para as reservas técnicas definidas pelo Banco Central. É importante reforçar que o “lucro” da Cooperativa de Crédito fica na região onde ela atua, já que uma boa parcela das Sobras é distribuída entre os sócios. Um enorme diferencial se comparado com os bancos, os quais não devolvem seus lucros aos seus correntistas, e os enviam para regiões ou países distantes.

Portanto, para que possa usufruir de todos os benefícios da sua Cooperativa de Crédito você deve se portar como um verdadeiro dono desta Instituição, concentrando nela suas transações financeiras e participando para ganhar sempre. Como parceiro neste projeto você deve permitir que os funcionários que lhe atendem conheçam a plenitude de suas demandas de serviços e produtos financeiros. Isto permite que, ao concentrar, obtenha reais ganhos financeiros e um atendimento de altíssima qualidade. Assim, construirá uma relação comercial de confiança mútua e se sentirá confortável em divulgar na sua sociedade os benefícios, a qualidade e a solidez da sua Cooperativa de Crédito.

Faça como milhões de brasileiros. Conheça ainda mais sobre esta excelente, racional e social solução para suas demandas de serviços e produtos financeiros e obtenha ainda mais sucesso. Associe-se hoje mesmo a uma Cooperativa de Crédito de sua cidade.





20 05 2013

16000 Cooperados





Intercooperação: fortalecimento das cooperativas através de redes.

21 02 2013

Cooperativas são empresas de propriedade coletiva e democraticamente geridas, embasadas em valores e princípios cooperativos. Estas, segundo a Lei 5.764/71 podem ser classificadas em: cooperativas singulares, cooperativas centrais (constituídas por, no mínimo, três singulares) ou confederações (constituídas por, no mínimo, três centrais).

Dentre os sete princípios cooperativos, contamos com o princípio da Intercooperação. Intercooperação é quando as cooperativas trabalham em conjunto através das estruturas locais, regionais, nacionais e internacionais, dando mais força ao movimento cooperativo e trazendo mais eficácia para as cooperativas.

ImageAs cooperativas se organizam em redes de forma horizontal ou vertical. Essa estruturação define a representatividade das cooperativas em um sistema, ou ainda, desenvolve as cooperativas em aspectos operacionais e administrativos.

A intercooperação horizontal ocorre entre cooperativas que se encontram em um mesmo nível de classificação (singulares e singulares, centrais e centrais) a fim de priorizar a parceria cooperativista (quando estas são de segmentos diferentes) e, ainda, reduzir custos e acessar mais produtos e serviços quando estas atuam em um mesmo segmento.

Já a intercooperação vertical, ocorre quando as cooperativas participam de um nível superior de organização e sistematização. Surge para que as essas ganhem em representação regional, nacional e internacional, solidificando a marca e consolidando-se no mercado. Além disso, cooperativas que estão em redes verticalizadas possuem maior poder de negociação política diante das demais empresas e de órgãos supervisores e representativos.

Desde o surgimento do cooperativismo é possível notar a importância da intercooperação para sua consolidação enquanto sistema econômico, porém as cooperativas ainda têm muito que compartilhar para tornar a intercooperação uma estratégia de mercado. O cooperativismo já se destaca como um grande movimento em todo o mundo e obterá ainda mais sucesso quando nós, cooperativas, andarmos de mãos dadas.

Por: Alessandra Moura

Gerente de Desenvolvimento Cooperativo – Sicoob Credip








Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 4.832 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: